All for Joomla All for Webmasters

 António Maio está motivado para a estreia no Dakar


O contingente português na próxima edição do Dakar é um dos maiores dos últimos tempos e entre os pilotos nacionais que vão fazer a sua estreia, destaque para António Maio, tetracampeão nacional de todo o terreno.

A primeira aventura de António Maio no Dakar vai contar com o apoio da sua equipa, Fino Motor Racing, liderada por Frederico Fino que já explicou ao Autoportal que a preparação da internacionalização do campeão nacional de todo o terreno começou há quatro anos.

“Não foi uma tarefa fácil. Nos primeiros anos não era possível concretizar a ideia porque não tínhamos dinheiro para fazer provas lá fora, mas no ano passado fomos disputar o Merzouga Rally e conseguimos dar o primeiro passo. Foi uma prova que correu bem, apesar de termos desistido no penúltimo dia. Foi uma boa experiência. A partir daí começámos a focar os nossos esforços na internacionalização e esta participação no Dakar de 2019 deve-se ao facto do António Maio ter conseguido arranjar verbas para competir lá fora. Toda a equipa em Portugal esteve envolvida na preparação de todos os materiais para levar para o Rali Dakar e na preparação da mota. O António Maio vai para o Peru com o mecânico da equipa, Bruno Pires. À chegada ao Peru vai passar a estar inserido numa estrutura oficial de clientes Yamaha”, sublinhou Frederico Fino.

O responsável pela Fino Motor Racing sabe que a dureza de uma prova como o Dakar requer um trabalho muito exigente de preparação. “ A parte operacional e logística é bastante complexa. O António conta com uma moto preparara para este tipo de provas, o que facilita imenso as coisas porque 99% do trabalho já está feito e a moto saiu de Portugal pronta a correr”, acrescentou o responsável da Fino Motor que tem o sonho de estar em breve no Dakar. “Esse é um sonho que falta cumprir, estar no Dakar com uma estrutura própria para poder disputar essa grande competição”, acrescentou Frederico Fino.

Quanto à estreia de António Maio no Dakar, o responsável da equipa não esconde que o objetivo do piloto da Yamaha é ganhar experiência numa prova tão exigente como a grande maratona sul-americana.

“Este será um Dakar muito diferente do habitual, porque resume-se a dunas, por isso foi importante que o António Maio tenha realizado algumas provas internacionais para ganhar experiência. Para além disso, marcar presença numa prova como o Dakar é sempre bom. Sabemos que na prova vão estar presentes  muitas equipas de fábrica com uma diferença de andamento muito grande e é difícil fazer o que estas formações fazem. Para nós o essencial é fazer quilómetros e ganhar experiência e daqui a dois ou três anos poderemos ter ambições para um resultado melhor, mas acredito que o António Maio vai fazer uma prova de bom nível. Ele está muito motivado”.

Frederico Fino reconhece que o trabalho da equipa tem sido bastante positivo apesar de ninguém ser profissional a começar por António Maio. “No caso do António é impressionante o que ele consegue fazer estando longe de ser um piloto profissional. Só consegue treinar aos fins-de-semana, o que é muito limitativo, e quando há corridas tem que tirar férias para poder correr. Ele sacrifica a sua vida em prol das motas, ele e os restantes elementos da equipa que tem uma vida profissional para alem do contributo que dão à equipa”.

A edição 2019 do Rali Dakar decorre entre os dias 6 e 17 de janeiro (com partida em Lima no dia 7), a caravana enfrenta cerca de 5.000 quilómetros, dos quais são 3.000 cronometrados. O responsável da Amaury Sport Organization (ASO) avisa que esta edição, integralmente realizada no Peru, será “uma das mais duras de sempre” e vai contar com 19 participantes portugueses.

VEJA TAMBÉM:



Fonte do Artigo

About The Author

Related posts

Deixe uma resposta